Nova Prata, 17 de Outubro de 2019

Abuso sexual infantil

O abuso sexual é, infelizmente, um tema sempre atual em nossa sociedade. Assunto que não gostamos de falar e extremamente importante de abordar com nossas crianças. Já escutei muitas pessoas que foram abusadas e que ainda não tiveram coragem de contar para a família. A maioria delas com medo de serem julgadas e com um enorme sentimento de culpa. O que essas pessoas não sabem é da importância de falar o que aconteceu e enfrentar o abuso com seriedade.
Na grande maioria das vezes, o abuso é minimizado, ignorado e até desmentido dentro da família. Isso não acontece por acaso, pois ninguém quer ter uma história dessas entre “os seus”. Existem pesquisas que nos mostram que a maioria dos abusadores fazem parte da família ou são pessoas próximas e “de confiança” dos pais. Não existe idade para que o abuso aconteça e é um trauma que será lembrado e terá reflexos em todas as etapas do ciclo de vida da vítima.
A informação é a melhor prevenção para evitar o abuso sexual e é importante clarificar que o abuso é qualquer situação ao qual a criança seja submetida e se sinta envergonhada e/ou não tenha maturidade suficiente para enfrentar. Desde cedo é fundamental que a criança aprenda o que é privado, ou seja, entenda sobre quais situações ela não deve participar e quais as ocasiões que não devem ser compartilhadas com outras pessoas, que não sejam suas cuidadoras.
Existem algumas dicas importantes para educar as crianças para se protegerem.
1- Ensine à criança o que é abuso sexual. Procure explicar com calma para que a criança não fique com medo. Não é necessário detalhar o assunto, apenas explicar que ninguém, além dos seus cuidadores, poderá tocar em seu corpo. Além disso, ela também não deverá tocar no corpo de nenhum adulto.
2- Ensine a criança que nenhum toque ou carinho em pessoas que não sejam seus pais e/ou demais cuidadores deverá ficar em segredo, principalmente se este ato o fizer sentir-se envergonhado.
3- Em reuniões familiares, festas e outros eventos não perca o seu filho de vista. Esteja atento. Muitos casos de abuso sexual acontecem quando os pais ou cuidadores se distraem por minutos. Não force o seu filho a abraçar, beijar ou sentar no colo de ninguém.
4- Fique atento a todas as mudanças de comportamento da criança: aspectos ligados à alimentação, isolamento, tristeza e agressividade, entre outros.
5- Desde cedo ensine o seu filho a respeitar o seu corpo e falar sobre as suas emoções e sentimentos. Além disso, ensine ao seu filho conceitos como intimidade e privacidade. Lembre-se de que estes aspectos são transmitidos através do exemplo. Os pais devem ter a porta fechada em seus momentos de intimidade. A criança aprende sobre privacidade quando é autorizada a ter o seu momento para descobrir sobre o seu corpo.
Falamos até aqui sobre prevenção, mas é importante salientar que pessoas que foram abusadas em sua infância não devem manter isso em segredo. É preciso falar, contar e ressignificar o que aconteceu para seguir adiante. Conte com o auxílio de um profissional. Além disso, trazer à tona os casos de abusos pode proteger as futuras gerações em sua família.
Pais, cuidadores, professores, todos nós somos responsáveis pela proteção das crianças, sejam elas da família ou não. Abusos podem acontecer em qualquer família, com qualquer criança, independente da idade ou classe social. Vamos educar para prevenir!

Veja outros colunistas

O primeiro passo

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

O primeiro passo

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

O primeiro passo

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]