Nova Prata, 26 de Maio de 2018

Para as mães de amor e saudades

O intuito de homenagear as únicas matrizes reprodutivas da espécie humana – no dia a elas destinado: o segundo domingo de cada mês de maio, nos coletiviza e reduz a simplesmente a FILHOS, sem cogitar de individualidades, por que MÃE simboliza amor lacrimado de saudade!
Entanto, ressalvo às mães de outras espécies, na natureza conhecidas, e para elas ofereço meu respeito, porque procriam em prol do mesmo mundo que nos integra!
E como tantos, também já tive minha mãe e queridas avós e sogra; meus filhos tiveram a deles, mas todas cumpriram a missão e transformaram-se em silenciosas imagens de doloridas lembranças!
Mas no dia de todas as mães humanas, presentes ou não! – rogo à força divina que as criou, para que nunca falte luzes às que partiram para eternidade, nem esperanças de bons filhos na terra, às que vivem! E se me fosse possível, pediria à Santa Eugênia que no colo delas deitasse uma Rosa linda, em nome de cada filho, por lágrimas derramadas!
Nova Prata, maio de 2018.

Veja outros colunistas

Afta: ulceração aftosa recorrente

Reinaldo Zanotto

Reinaldo Zanotto

[ Leia mais ]

Poeira e sonhos

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

Nova Bassano, a imigração italiana e os laços de amizade

Firléia Guadagnin Radin

Firléia Guadagnin Radin

[ Leia mais ]