Nova Prata, 19 de Dezembro de 2018

Negócio de confiança

Ser político é uma tarefa árdua. Principalmente no Brasil. E perigosa, por consequência. É sempre um tiroteio. Também gosto de atirar. Mas meus tiros não têm acertado muito os alvos e geralmente são dados em baladas.
Político também atira em baladas. Mas sua munição mais pesada é gasta em outras batalhas. Por isso, sempre que eleitos, cercam-se de pessoas confiáveis. Eles precisam de escudos. Nada mais justo. Escudo costuma ser blindado. Por isso recebe generosas quantias. Também se cansa rápido. Precisa de muitas folgas e licenças.
É preciso confiar em nossos escudos. É o que eu sempre digo. Por certo, as pessoas que todo bom político mais confia são seus familiares. Há familiares tão de confiança que, um ano antes das eleições, já saem de seus empregos. Estão pensando em nosso futuro. Querem dedicar-se a nossas cidades e estados. O cidadão de bem agradece.
O Brasil é um dos únicos países do mundo em que político não é cargo público. É profissão. Agora, criamos uma nova categoria para isso: familiar de político.
Em breve, teremos o sindicado do político. Eu apóio, a categoria precisa se unir. Tiros vêm de onde menos se espera. Mas, com os sindicatos, todos se protegem: você contrata meu filho e dou um CC para sua nora. Está na lei. É legal.
O que não é legal é a crise. Ela exige criatividade. Mas ninguém mais criativo que o tupiniquim. Principalmente na hora de criar empregos. Ou profissões.
Eu sou um homem de visão. Assim, acredito que logo aparecerão agências de RH especializadas nesse assunto. Os setores precisam se especializar. O mercado exige. Vou criar a minha. Também tenho de pagar as contas. Vou focar minha empresa em cargos de confiança. Ela funcionará ano-sim, ano-não. No ano-não, descansarei na minha casa de campo em Monte Carlo. Se você for familiar de político, aproveite para mandar seu currículo. Assim que seu pai, tio ou sogro for eleito, encaminharemos você para uma prefeitura ou assembleia próxima a sua casa. Para seu cargo ser efetivado, basta que seu familiar eleito também contrate uma contraparte. É simples, rápido e seguro. Negócio de confiança. Assim como na política.
Nada mais justo.

Veja outros colunistas

Conserve seu implante dentário

Reinaldo Zanotto

Reinaldo Zanotto

[ Leia mais ]

Quem bate à porta?

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

Câncer de boca

Reinaldo Zanotto

Reinaldo Zanotto

[ Leia mais ]