Nova Prata, 14 de Abril de 2021

Por que é necessário proteger dados?

Se você ainda tem dúvidas de por que existe a Lei Geral de Proteção de Dados, talvez você ainda não tenha sofrido com problemas envolvendo seus dados pessoais. E o risco de que isto possa acontecer não está muito distante. Pelo contrário, está mais perto do que você imagina.

Recentemente foram noticiados no Brasil, dois grandes casos envolvendo vazamento de dados pessoais, um em janeiro, em que foram disponibilizados 223 milhões de CPFs, e outro em fevereiro, quando informações de 103 milhões de celulares foram expostas.

Entre os casos de vazamento de dados mais famosos estão os do Facebook. Em 2018, um desses vazamentos atingiu 30 milhões de usuários. Já em 2019, outra falha do Facebook fez com que dados de 419 milhões de pessoas fossem expostos. Os números impressionam. Porém, mesmo grandiosos, a sensação que existe é que estes casos não vão afetar o nosso cotidiano.

Por isso, é muito importante lembrar que diariamente, apenas por acessar a internet e transitar nas redes sociais, já podemos estar vulneráveis e ficar expostos a todo o tipo de violação e ataques.
No Brasil, a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais foi aprovada em 2018 motivada pelas polêmicas de comportamento sobre o uso e compartilhamento de dados de grandes empresas que atuam na internet, tais como o Facebook. Para se ter uma noção da quantidade de dados que produzimos todos os dias, confira algumas estatísticas:
- 5 perfis são criados no Facebook a cada segundo.
- 120 perfis são criados no LinkedIn a cada minuto.
- 400 mil tweets são postados a cada minuto
- 4 milhões de vídeos são assistidos no YouTube por minuto.

Com tantas informações produzidas, a internet e as redes sociais se tornaram fonte inesgotável de informações sobre diversos assuntos. É possível saber quais vídeos os usuários preferem assistir, quem são seus amigos e familiares, e o que estão pensando. A sua vida está em constante exposição. Essa exposição aumenta a cada minuto e se torna cada vez mais valiosa para as empresas. Essas questões se tornaram indispensáveis nas discussões sobre liberdade na internet e despertaram a necessidade de determinar comportamentos básicos e proibições relacionadas ao tratamento de dados.

 

A Lei Geral de Proteção de Dados foi pensada para atuar neste contexto de digitalização e de compartilhamento de informações e documentos. Mas ainda falta compreensão sobre a urgência da segurança de dados tanto para pessoas jurídicas como físicas, especialmente se considerarmos que as multas previstas nesta nova legislação para casos de violação ainda não estão sendo aplicadas.

 

Para que esta compreensão melhore, precisamos entender que um vazamento pode ter consequências para todas as pessoas com quem nos relacionamos, sejam nossos contatos particulares, sejam nossos contatos comerciais. Fazendo uma analogia com a COVID-19, quando uma pessoa é infectada e não se protege adequadamente, ela transmite o vírus para outras. No caso dos dados, é a mesma coisa: se a pessoa não protege devidamente as informações que possui ou detém por qualquer motivo, ela expõe os outros e compromete a sua própria segurança também.

Para evitar que esse tipo de exposição aconteça é fundamental investir na segurança de dados. A Lei Geral de Proteção de Dados tem como conceito um conjunto de práticas e mecanismos, como softwares e hardwares, para manter as bases guardadas pelas empresas em segurança. Além das ferramentas e recursos humanos, é preciso ainda montar uma estratégia de cyber segurança adequada ao perfil de cada empresa e ao tipo de uso dos dados que são compartilhados ou expostos.

Ainda que o vazamento de bases de dados de grandes empresas tenha impactos maiores, também é necessário cuidar do nosso comportamento individual no mundo digital. Neste sentido, é importante ler os termos que aparecem ao baixar um aplicativo ou ferramenta, porque ali está descrito o que será feito com as informações do usuário. Se não houver informações sobre o uso dos dados, desconfie. Também é importante manter-se atualizado sobre os golpes que estão sendo aplicados, por meio de fontes confiáveis.

Este alerta serve igualmente para o uso de softwares piratas, para cadastros específicos em cada plataforma, principalmente para aqueles promocionais. Não devemos responder pesquisas aleatórias, sem motivo ou interesse justificado, e de fonte confiável. Isso evita a captura de informações para um possível golpe. Todo o cuidado é importante para não entregarmos elementos desnecessários para o atendimento na internet na condição de cliente de produto ou usuário de serviço. No mundo digital ou virtual, na internet, devemos desconfiar de tudo aquilo que nos é oferecido. Nunca fez tanto sentido a velha expressão popular: “não existe almoço grátis!”.

Veja outros colunistas

Outubro Azul e Novembro Rosa

Guido Denipotti

Guido Denipotti

[ Leia mais ]

Ilusões

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

Vazamento

Fabio Maciel Ferreira

Fabio Maciel Ferreira

[ Leia mais ]