Nova Prata, 03 de Dezembro de 2020

Exercício físico na gravidez

Desde a década de 1990, houve mudanças de paradigma em relação às recomendações de atividade física durante a gestação. O exercício físico em período gestacional passou a ser estimulado e até mesmo indicado pelos guias e protocolos do American College of Obstetricians and Gynecologists. Porém, somente em 2002 a prática de atividade física na gestação foi reconhecida como uma atividade segura e indicada para todas as gestantes saudáveis.
Estudos já comprovam que um programa de exercícios físicos, executado três vezes por semana durante a segunda metade da gravidez, pode colaborar na redução da intensidade das dores lombares, aumentando também a flexibilidade da coluna. Além disso, atende ao fator principal, que é a promoção da saúde e o bem-estar na formação do feto, fazendo com que esse processo aconteça da melhor forma possível (Garshasbi e Faghih Zadeh, 2005).
Possíveis benefícios do exercício físico:
• Melhora na condição cardiovascular;
• Melhora na capacidade funcional e atividades diárias, gerando uma maior independência;
• Recuperação acelerada pós-parto;
• Menor ganho de peso durante a gravidez;
• Retorno ao peso de forma mais rápida;
• Menor dor durante o parto;
• Redução do estresse e da ansiedade;
• Redução do risco de pré-eclâmpsia (hipertensão no parto);
• Diminuição de possíveis prejuízos à ação da insulina;
• Melhora ou prevenção de problemas osteoarticulares.
É necessário que a paciente tenha supervisão médica constante e também um atestado de liberação médica para iniciar a prática de atividade física.
Nestes casos, é de extrema importância o acompanhamento de um profissional de educação física para tornar a prática do exercício físico segura. Dessa forma, a aluna não estará exposta a nenhum risco.
É aconselhável que exista o acompanhamento da glicemia e frequência cardíaca durante os treinos. É também importante que haja uma progressão mais lenta das atividades e do volume total de treino, assim como um cuidado especial com a respiração durante os exercícios, evitando atingir a fadiga.
Recomenda-se que as mulheres grávidas realizem exercício físico regular pelo menos durante 15 minutos, três dias por semana. Para a prática de exercício aeróbico, não se deve ultrapassar 45 minutos totais da sessão. O exercício deve ser realizado nos momentos menos quentes do dia, a grávida deve usar roupas confortáveis, ingerir grande quantidade de líquido e deve ser capaz de manter uma conversação verbal durante a prática do exercício. Devem ser evitados os exercícios físicos em posição supina, bem como os desportos com risco de traumatismo abdominal e queda. É necessário fortalecer toda a musculatura ligada à funcionalidade geral, assim como musculatura abdominal e paravertebral.
Pode-se afirmar que a prática de exercício físico durante a gestação contribui para melhoras positivas na saúde da mãe e do feto, tanto na parte biológica como na psicológica. Tomando alguns cuidados para não exceder os limites do corpo, com a liberação de um médico e acompanhamento de um profissional qualificado, é uma ótima opção para melhorar a qualidade de vida durante a gestação e pós-parto.
Profissional de Educação Física – Pós-Graduanda em Reabilitação de Lesões e Doenças Músculo Esqueléticas.

Veja outros colunistas

O brado que não se ouve

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

O brado que não se ouve

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

O brado que não se ouve

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]