Nova Prata, 03 de Dezembro de 2020

Atividade física na terceira idade

Segundo o IBGE (2010), o Brasil vem passando por uma transformação no seu perfil demográfico destacando-se o aumento da expectativa de vida. Sendo que o número de idosos tende a quadruplicar,a população com essa faixa etária deve passar de 14,9 milhões (7,4% do total), em 2013, para 58,4 milhões (26,7% do total), em 2060.Conforme dados da Organização das Nações Unidas, hoje já são aproximadamente 14 milhões de pessoas na faixa etária considerada ‘terceira idade’ no mundo.
O envelhecimento é um processo natural inerente a todo ser humano, queprovoca uma perda funcional progressiva no organismo, é caracterizado por diversas alterações orgânicas, por exemplo, como a redução do equilíbrio e da mobilidade, das capacidades fisiológicas (respiratória e circulatória) e modificações psicológicas.
Tais alterações podem comprometer os aspectos físicos e a capacidade funcional do idoso de realizar tarefas do cotidiano. Neste contexto, a prática regular de exercício físico, atua como base para a manutenção da saúde e qualidade de vida, podendo combater os efeitos do envelhecimento e, auxiliar o idoso a conservar sua aptidão física e capacidade funcional.
Durante o envelhecimento o corpo sofre algumas alterações como: perda da força muscular, diminuição da flexibilidade, da agilidade e da coordenação. Algumas modificações na composição corporal, pele, sistema digestivo, urinário, muscular e esquelético, nervoso, cardiovascular, respiratório, e o endócrino.
O avanço da idade, faz com que o indivíduo se torne menos ativo, o que desencadeia na diminuição de suas capacidades físicas, e como consequência, surge o sentimento de velhice, que em muitos casos pode causar estresse e depressão. O que provoca uma diminuição da atividade física, contribuindo para o surgimento de doenças crônicas.
A figura 1 mostra um ciclo vicioso que ocorre na vida do idoso.

Figura 1: Nóbrega et al. (2001) estabeleceram um esquema que apresenta um ciclo vicioso que permeia o processo de envelhecimento.
A prática de atividades físicas deve ser estimulada, pois é capaz de promover uma melhoria da aptidão física relacionada à saúde, e gerar autonomia na execução no desempenho das tarefas diárias do idoso. Lembrando que, a prática de exercício físico deve ser devidamente planejada e, realizada de maneira cuidadosa, com acompanhamento de um profissional de educação física, e avaliação médica.
American Heart Association e o American Collegeof Sports Medicine,recomendam para a população acima de 65 anos, 150 minutos de atividade moderada por semana, utilizando o treinamento de força, aeróbico, flexibilidade e as habilidades motoras,e também o monitoramento da frequência cardíaca, durante o treinamento.
Profissional de Educação Física – Pós-Graduanda em Reabilitação de Lesões e Doenças Músculo Esqueléticas.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Tendências Demográficas.Disponível em: http: // www.ibge.gov.br.
NÓBREGA, A. C. L. et al. Posicionamento oficial da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia sobre atividade física e saúde no idoso. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, v. 5, n. 6, nov./dez. 2001.

Galeria de Imagens
Veja outros colunistas

O brado que não se ouve

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

O brado que não se ouve

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

O brado que não se ouve

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]