Nova Prata, 18 de Dezembro de 2018

Reconstrução de maxilares com enxertos

Cada vez mais percebemos o aumento da expectativa de vida da população. Tal fenômeno é mundial e explicado pelos avanços científicos aplicados aos tratamentos de saúde.
Mas, de nada adiantaria esse aumento na expectativa de vida, se a qualidade da mesma não o acompanhasse. Por isso, o problema da perda dos dentes é enfrentado cada vez com maior afinco. Com efeito, sabe-se que a perda precoce seja total ou parcial dos dentes leva a alterações das estruturas dos ossos dos maxilares por vezes muito graves.
Associados a essa perda precoce somam-se outros fatores também responsáveis pela atrofia dos maxilares, como doenças ósseas metabólicas, fatores anatômicos, problemas de nutrição, traumas, técnicas de extrações de dentes inapropriadas, doenças periodontais graves, ressecção de tumores, ou até mesmo, o uso de próteses.
Para a colocação e fixação dos implantes dentários, necessitamos de uma boa quantidade de tecido ósseo. Caso essa estrutura óssea não seja suficiente, podemos fazer uso de enxertos para reconstituir, mesmo que parcialmente, essa estrutura perdida.
Os enxertos para fixação dos implantes estão cada vez mais práticos e seguros para uso, sendo um benefício que quando necessário, deve ser utilizado.
Para uma correta avaliação, converse com um dentista.

Veja outros colunistas

Conserve seu implante dentário

Reinaldo Zanotto

Reinaldo Zanotto

[ Leia mais ]

Quem bate à porta?

Cíntia Bettio

Cíntia Bettio

[ Leia mais ]

Câncer de boca

Reinaldo Zanotto

Reinaldo Zanotto

[ Leia mais ]