Nova Prata, 22 de Agosto de 2019

- em Entrevista

Chimarrão: um símbolo cultural

Nova Prata
Oscar Rigon
Oscar Rigon /

No dia 24/04, comemorou-se o Dia do Chimarrão. A redação do jornal Correio Livre conversou com Oscar Rigon, da Serppar Distribuidora de produtos veterinários. Ele presta assessoria técnica para o plantio e comercialização de erva-mate.

- A erva-mate possui estreita identidade com o povo da América Latina, deveria ser o produto símbolo do Mercosul. No início da colonização, existia mais de 50 fábricas artesanais na grande Nova Prata e região para o preparo da erva-mate. Hoje, praticamente todas foram extintas - destaca.

Oscar fala também sobre a redução dos ervais.

- A erva-mate é uma planta nativa e as matas estão sendo cada vez mais destruídas, além da escassez de mão-de-obra. Atualmente, o cultivo é mecanizado, mas a colheita ainda é manual e isso torna-se um dificultador nesse processo. O cultivo da erva-mate vem cedendo espaço para outras culturas, principalmente de grãos, como milho e soja. Muitos ervais de baixa produtividade foram erradicados e a reposição é demorada, o início de produção de um pé varia de seis a sete anos. É iminente a escassez desse produto no futuro. A produtividade aumentou nos plantios instalados, mas a produção global diminuiu - explica Oscar.

O Rio Grande do Sul atinge cerca de 297 mil toneladas de folha verde a cada ano; Paraná produz 228 mil toneladas; Santa Catarina 80 mil toneladas e Mato Grosso do Sul cerca de 1,6 mil toneladas.

O Paraná é o maior produtor de erva-mate do país, responsável por 70% da produção nacional. A informação é da Pesquisa da Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura 2007, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que revelou ainda que dos 20 principais municípios produtores, 15 deles são paranaenses. O município de São Mateus do Sul se destaca como o maior produtor de erva-mate do país e responde por 14% da produção nacional.

- O chimarrão possui a característica de socialização entre as pessoas. É comum você visitar alguém e ser servido o chimarrão. Essa é uma tradição muito forte. A erva-mate é um produto consumido naturalmente, integra a cesta básica dos gaúchos e ela não é consumida somente no chimarrão. Hoje, a erva-mate é utilizada como chás, na alimentação e inclusive na industrialização de cosméticos - ressalta. 

A erva-mate é uma planta medicinal consumida desde 1554 pelos índios Guaranis. Atualmente, é utilizada como chá mate, chimarrão ou tererê no Brasil e Sul da América Latina, sendo ingerida como remédio caseiro para o colesterol, emagrecer, diminuir a taxa de glicose no sangue, saciar a fome, estimular a função cerebral, melhorar a circulação sanguínea, facilitar a digestão e limpar a pele. Além disso, é benéfica para o sistema cardiovascular e respiratório.

 

Erval em André da Rocha

Jomar Getúlio Vieira Jacques, de André da Rocha, possui em sua propriedade cerca de 90 mil pés de erva-mate, que foram plantados por volta de 1995.

Conforme destaca, a sua plantação chegará ao final, pois não está tendo o retorno esperado.

- O valor pela arroba de erva-mate está muito baixo. Infelizmente, será preciso arrancar os pés. Há alguns anos, havia mais valorização financeira desse produto. Já enfrentei inclusive dificuldade de empresas receberem a erva. É mais rentável plantar grãos ou utilizar esse espaço para pastagem de animais do que continuar com a cultura de erva-mate. Como é algo que está se tornando inviável financeiramente, mudanças são necessárias - destaca.

 

Galeria de Imagens
O erval em André da Rocha já foi utilizado para ensaios fotográficos
O erval em André da Rocha já foi utilizado para ensaios fotográficos
O erval em André da Rocha já foi utilizado para ensaios fotográficos
O erval em André da Rocha já foi utilizado para ensaios fotográficos