Nova Prata, 17 de Outubro de 2019

- em Entrevista

Grupo de Alcoólicos e Narcóticos Anônimos

Nova Prata
Priscila Roncatto e Renata Tremea
Priscila Roncatto e Renata Tremea /

Após 30 anos do grupo dos Alcoólicos Anônimos de Nova Prata, em julho deste ano, Renata Tremea assumiu a responsabilidade de coordenar os trabalhos, motivada por um convite que teve de Beatriz Rizzotto. Quem auxilia Renata na condução das tarefas do grupo é Priscilla Roncatto.
Uma das primeiras atitudes da nova gestão foi sair da sala que estava sendo ocupada no CRAS, Centro de Referência de Assistência Social, pois o Poder Público solicitou que o grupo utilizasse outro local para realizar os encontros, foi então que em busca de um novo local conseguiram uma sala, com capacidade para atender trinta pessoas, cedido pelo Centro Espírita As Estrelas Douradas do Senhor, através da ajuda de Moacir Durli.
Um dos desafios do grupo AA/NA é conseguir arrecadar recursos para fazer um caixinha e custear as despesas como papeis, canetas, impressões gráficas que hoje são todas custeadas pelo centro espírita.
Beatriz além de coordenadora do grupo AA, cuidava de idosos, e em uma eventualidade, Renata estava cuidando de sua mãe no hospital e no mesmo quarto estava a Beatriz cuidando de uma paciente idosa. Depois de algumas conversas Renata comentou com ela que tinha muita vontade de fazer um trabalho voluntário, porém não sabia em qual área ela gostaria de ajudar, foi ali que surgiu o convite para ingressar e ajudar no grupo AA.
Gosto do que faço, pois sempre quis fazer um trabalho voluntário, ajudar outras pessoas, ouvir o que elas têm pra dizer e tentar achar uma solução para os problemas delas, é como se fossem membros da nossa família, ressalta Renata.
Depois de muitos cursos de preparação Renata e Priscila começaram o trabalho. Além do grupo Alcoólicos Anônimos iniciaram atendimento ao grupo de Narcóticos Anônimos. A condução dos encontros ficou mais interativa e atrativa, justamente por verem que os participantes, com o tempo, perdiam o interesse em participar das reuniões. hoje, contam com brincadeiras, dinâmicas em grupo e roda de conversas. Dentre os planos futuros da nova gestão é trazer palestrantes para os encontros e torná-los diferentes, qualitativos e atrativos.
A entidade busca patrocinadores e apoiadores para arrecadar mais recursos e dar condições melhores aos encontros, tornando os resultados mais efetivos com o passar dos anos, pois hoje os recursos são bancados todos pelo centro espírita, que não mede esforços em ajudar no que for preciso. Além da ajuda do Centro Espírita, o grupo conta com o apoio do Beto, da Via Mídia que fornece a arte de alguns materiais.
O grupo conta com 20 pessoas cadastradas atualmente, sendo a maioria, cerca de 80% dos dos participantes, do grupo Narcóticos Anônimos com mandado judicial, composta por pessoas mais novas. Já no grupo dos Alcoólicos Anônimos os integrantes são pessoas com mais idade. Os mandados judiciais são expedidos pelo juiz, onde o mesmo coloca três opções para o menor escolher: prestar serviços voluntários, pagar sexta básica, ou participar de no mínimo oito encontros do grupo NA.
Os encontros acontecem todas as semanas, na quarta-feira, às 19h45min, em uma sala do Centro Espírita As Estrelas Douradas do Senhor, ao lado do brechó, com duração de aproximadamente uma hora.
Atendemos Nova Prata, Nova Bassano, Protásio Alves, Vista Alegre do Prata e outros municípios da região. As prefeituras já estão todas informadas. Existe uma rotatividade muito grande de pessoas, sempre tem uma pessoa nova no encontro, ressalta, Priscilla.
O apoio da família em casa é muito importante, pois eles estão presentes durante o dia a dia do viciado, e precisam dar todo o suporte e motivação para eles. Existem casos de jovens que começaram a se drogar aos 12 anos, os pais não sabem que os filhos participam do grupo, entende-se que a família não está dando a atenção devida as mesmos em casa. Não apoiamos a participação dos pais e parentes nas reuniões do grupo, pois acreditamos que dificulta a manifestação de seus sentimentos
O apoio tem que estar em casa, no momento em que eles não estão no encontro, a não ser que o usuário seja menor de idade, aí é obrigatório a presença dos pais. Um dos principais motivos do uso de drogas está nas más companhias e amizades, indiferente da idade, finaliza Renata.
Para mais informações, ou quem puder ajudar de alguma forma, entrar em contato pelos telefones (54) 99945 9408 com Renata ou (51) 99516 7879 com Priscilla.

17 Out. 2019, 17:54

Aviso de audiência pública

07 Out. 2019, 17:54

O desafio do especialista em audição