Nova Prata, 14 de Abril de 2021

- em Entrevista

Entrevista: Solange Pires é a nova delegada do CRC

Solange é a primeira mulher a assumir o cargo no Conselho Regional de Contabilidade (CRC)
Solange afirma que as mulheres a mulher conquistaram espaços no mercado de trabalho e estão cuidando mais de si
Solange afirma que as mulheres a mulher conquistaram espaços no mercado de trabalho e estão cuidando mais de si /

A pratense Solange Pires é a primeira mulher a assumir o cargo de delegada do Conselho Regional de Contabilidade (CRC). Em entrevista ao jornal Correio Livre, ela comenta a função do cargo e os desafios da profissão de contabilista.

 

Como delegada do CRC, quais as suas principais atribuições?

Representar o Conselho em todas as bases territoriais, atendendo todos os profissionais vinculados, prestar atendimento aos profissionais vinculados à sua jurisdição, promover e divulgar, de maneira ampla, os atos do CRC do Rio Grande do Sul (RS), especialmente os de caráter normativo; zelar pelo prestígio e pelo bom nome do CRCRS, de seus registrados e da profissão; executar outras funções de representação institucional que lhe forem atribuídas pela presidência do Conselho.

 

Como ocorre o processo de escolha do novo delegado regional?

Na primeira fase, todos os contadores com registro recebem o convite para se inscrever, se tiverem interesse em colaborar com o CRC. Depois, a comissão de conselheiros dentro do CRC se reúne para analisar cada interessado: sua trajetória profissional, se teve denúncias, reclamações, enfim, se tem uma ficha limpa. Então entre os selecionados, é encaminhado para algumas autoridades um pedido de informações e recomendações sobre o candidato selecionado. Depois, há a divulgação no Diário Oficial da União e ele recebe a convocação para sua posse. O cargo de delegada é por um período inicial de quatro anos, podendo (se a mesma tiver interesse e boa conduta) ser reconduzida para mais quatro anos, totalizando oito anos.

 

Qual a importância para as empresas de Nova Prata e região ter uma representante pratense neste cargo?

Nós como delegados temos a função de manter os contadores atualizados com as informações que nos são passadas pelo CRCRS. São informações ricas, pois o CRCRS está sempre buscando soluções e inovações para que possamos fazer um serviço de qualidade que contribui muito para o desenvolvimento das empresas e para tomadas de decisões em tempo real. Também zelamos pela boa conduta dos profissionais, e caso haja irregularidades na prestação dos serviços, comunicar ao CRC.

 

Quais as principais mudanças que a profissão enfrentou nos últimos anos?

As principais mudanças que os profissionais vem enfrentando é a revolução digital. Ela vem numa velocidade muita rápida e nós temos que nos adaptar, mas estou ciente de que as soluções tecnológicas vieram para contribuir com nosso trabalho. Embora no início exija um pouco mais de habilidades dos profissionais, mas ao mesmo tempo, aumenta a produtividade.

 

Quais os desafios enfrentados atualmente?

O momento atual é delicado para nós contadores. Em função da pandemia o governo teve que tomar medidas drásticas, o que aumentou nossos serviços e novas ações foram criadas. Sem poder aumentar os nossos honorários, tivemos que nos adaptar do dia para a noite e mantermos atualizados na legislação, pois novas medidas provisórias foram aprovadas. Mas o CRCRS está sempre trabalhando por nós, buscando as prorrogações das obrigações. Os prazos para recolhimento de tributos (municipais, estaduais e federais) sofreram algumas alterações relevantes. Isso significa que, além de atentar ao lançamento dos dados, é necessário recriar o agendamento fiscal dos clientes.

 

Mais alguma consideração?

Para concluir, eu sou a primeira mulher a exercer esse cargo em Nova Prata. Existem muitas mulheres contadoras - já somos a maioria em registro profissional - mas nos cargos de liderança têm poucas, porque nas atividades de liderança existem muitos compromissos que conflitam com as atividades de mãe, dona de casa, esposa e muitas outras coisas que nós mulheres fazemos. Pode parecer feminista demais essa afirmação, mas certamente você irá de convir comigo, como teríamos nascido se não fosse uma mulher? Além disso, a mulher conquistou o mercado de trabalho e também está cuidando mais de si. Lembrando que a nossa presidente do CRCRS, Ana Tércia Lopes Rodrigues, está já no seu segundo mandato como presidente do CRC estadual, e que só após 70 anos uma mulher foi eleita para esse cargo, ou seja, estamos de parabéns, nós mulheres. Obrigada.

13 Abr. 2021, 10:32

Descartes em Lixeira Inteligente geram doações à AAMA

12 Abr. 2021, 10:32

Hospital São João Batista recebeu R$ 233.116,23 em doações em março

12 Abr. 2021, 10:32

VAGAS DE EMPREGO