Nova Prata, 28 de Setembro de 2021

- em Saúde e bem-estar

Profissionais destacam a preocupação com a falta de sangue

Número de doações reduziu durante a pandemia
 Dia Mundial do Doador de Sangue é celebrado em 14 de junho
Dia Mundial do Doador de Sangue é celebrado em 14 de junho /

Nova Prata - “A doação de sangue é um gesto simples, rápido, seguro, praticamente indolor e que salva muitas vidas”, destacam Naira Soccol, coordenadora de enfermagem do Hospital São João Batista (HSJB), e Morgana Bristot Postal, enfermeira da Agência Transfusional. Na segunda-feira, 14, foi celebrado o Dia Mundial do Doador de Sangue.

Elas explicam que após o início da pandemia, as doações diminuíram muito e mais do que nunca se tornaram muito necessárias.

- A falta de sangue pode implicar diretamente na saúde dos pacientes, inclusive com o adiamento ou até mesmo cancelamento de determinados procedimentos cirúrgicos. Nesta semana, havia falta de bolsas de sangue tanto aqui no hospital, quanto no hemocentro de Caxias do Sul. Então, em algumas situações é necessário passar por uma avaliação médica para saber qual das duas questões é menos prejudicial à saúde: não fazer a cirurgia pela falta de sangue ou passar pelo procedimento e não ter bolsas disponíveis, caso fosse preciso. É uma decisão complicada e cabe ao médico avaliar criteriosamente cada situação. Essa é uma realidade que acontece em muitos hospitais - destaca Naira.

Ambas explicam que há no hospital um estoque mínimo de bolsas de sangue para casos de emergência e existem dois centros de distribuição, de Caxias do Sul, sendo um deles destinado para pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), que é o de maior número de transfusões, e outro para os casos particulares e convênios.

- O número de bolsas de sangue está comprometido pelo fato dos hemocentros não estarem conseguindo suprir a carência, sobretudo pela falta de doadores. Antes do início da pandemia, o tipo sanguíneo O- era um dos mais escassos e nos últimos tempos essa demanda se refere a todos os tipos. Em Nova Prata, a média mensal é de 40 pacientes transfundidos, entretanto, normalmente cada um recebe mais do que uma bolsa de sangue - enfatizam.

- Quando o paciente recebe sangue, um familiar é orientado a procurar a Secretaria da Saúde para organizar o transporte e fazer o agendamento em Caxias do Sul, visando realizar a doação e repor as bolsas utilizadas. Nunca sabemos quando vamos precisar, por isso é tão importante nos conscientizarmos sobre a doação e não esperarmos um familiar necessitar. Uma doação pode salvar até quatro vidas - relatam.

 

“O número de bolsas de sangue está
comprometido pelo fato dos hemocentros
não estarem conseguindo suprir a carência,
sobretudo pela falta de doadores.”

— Naira Soccol e Morgana Bristot Postal

 

Requisitos para doar sangue

É preciso estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos (menores de idade, com 16 ou 17 anos, devem apresentar autorização do responsável), pesar mais de 50 quilos, não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas, não estar grávida, não ter feito tatuagem ou maquiagem definitiva há 12 meses e não ter histórico de doenças infecciosas, entre outras questões. As pessoas que tiveram covid-19 podem doar 30 dias depois de estarem recuperadas da doença. Mulheres podem fazer doações a cada três meses, sendo o máximo de três por ano e os homens a cada dois meses, não ultrapassando o total de quatro vezes por ano.

 

Agência Transfusional

Naira e Morgana mencionam que no HSJB há uma Agência Transfusional, destinada para armazenamento e transfusão de sangue e seus derivados, diferente de um Banco de Sangue, que se destinada à coleta, processamento e preparação do sangue. O transporte das bolsas de Caxias do Sul até Nova Prata é um processo complexo e os motoristas são capacitados para tal atividade.

No Hospital, há um técnico de enfermagem capacitado em cada turno, responsável por fazer os testes necessários, visando garantir a segurança dos processos transfusionais. O serviço conta também com um médico e uma enfermeira. Considerando que se trata de transferência de tecido entre indivíduos, a transfusão é um tipo de transplante, assim sendo, deve-se cumprir cautelosamente todas as etapas de segurança para tranformar este procedimento o menos arriscado possível ao paciente.

De acordo com elas, a transfusão de sangue é uma questão delicada, necessitando, também de assinatura de autorização do paciente/responsável para transfusão.

Conforme frisam, antes da pandemia havia uma parceria com a Secretaria da Saúde para trazer uma unidade móvel do hemocentro ao município, buscando fazer com que mais pessoas fossem doadoras.

- A doação é importante e necessária. Doar sangue é um ato humanitário, que enobrece e traz uma satisfação interior muito grande - finalizam.

 

Bolsas de sangue em Nova Bassano

No Hospital Nossa Senhora de Lourdes há uma Agência de Sangue subsidiada pelo Hemopasso, de Passo Fundo. “Quando solicitamos a retirada de bolsa de sangue, já orientamos os familiares para procurarem a Secretaria Municipal da Saúde, onde a mesma encaminha para a reposição”, destaca a a diretora do Hospital, Rosane Maroso.

 

Texto: Renata Grzegorek

Galeria de Imagens
Coordenadora da enfermagem, Naira Soccol, e Morgana Bristot Postal, enfermeira Agência Transfusional
Coordenadora da enfermagem, Naira Soccol, e Morgana Bristot Postal, enfermeira Agência Transfusional

16 Set. 2021, 09:27

Tradicionalistas pratenses são destaque estadual

10 Set. 2021, 09:27

VAGAS DE EMPREGO