Nova Prata, 22 de Novembro de 2019

- em Segurança Pública

Delegada Liliane diz que é preciso ter cautela em redes sociais

Nova Prata
Delegada Liliane Pasternak Kramm
Delegada Liliane Pasternak Kramm /

A redação do jornal Correio Livre conversou com a delegada Liliane Pasternak Kramm. Ela faz um alerta para quem usa as redes sociais de forma equivocada. “As pessoas não podem se esconder atrás de telas de computadores ou celulares e exporem opiniões pensando que tal ato não terá as devidas consequências. Estaremos agindo para evitar crimes que acontecem nas redes sociais e são praticados contra pessoas ou instituições”, destaca.
A delegada fala sobre o caso da jovem A.L.G, 27 anos, que fez comentários em redes sociais dizendo que policiais desapareceram com as drogas apreendidas nas operações. Outro caso é de um jovem que ofendeu o trabalho da Força Tática quando esta fez apreensão de pés de maconha. Tanto a Polícia Civil (PC) como a Brigada Militar (BM) registraram ocorrência e eles serão indiciados pelos seus comentários.
Sobre o estudante do Instituto Tiradentes, que teve fotos divulgadas de forma equivocada em redes sociais como sendo o principal suspeito após informações alarmantes de um possível atirador em um educandário de Nova Prata, caso ocorrido em março, o processo está em andamento e os envolvidos com a divulgação de informações erradas e falsas sobre o jovem serão ouvidos.
A delegada Liliane também ressaltou sobre o caso do diretor do Instituto Tiradentes, Silvano Marchetti, que foi ofendido após as manifestações que a escola realizou em defesa da educação. O diretor registrou ocorrência.
“É preciso que as pessoas tenham muita cautela para divulgar qualquer informação e antes de fazer uso das redes sociais para externar opiniões”, finalizou.